Jovem morto durante briga será sepultado as 10h desta quarta em Palmital

Ele morreu na tarde de terça-feira (12) com um golpe de canivete na região do tórax.

O corpo do comerciário Maicon Reis da Silva Crispe, de 25 anos, está sendo velado no Memorial Aliança e será sepultado nesta quarta-feira (13), às 10 horas, no Cemitério Municipal de Palmital (SP). Ele morreu na tarde de terça-feira (12) com um golpe de canivete na região do tórax depois de briga com um trabalhador rural no bairro São José. O rapaz, que tinha apelido de “Pato”, chegou a ser socorrido à Santa Casa de Misericórdia, mas não resistiu.

O autor do homicídio, que tem 21 anos, foi preso pela Polícia Militar no conjunto Miguel Huertas (CDHU) e relatou que o episódio teria sido originado pelo desentendimento recente de seu irmão adolescente com a vítima. Informações apuradas pela PM apontam que Maicon teria se desentendido na semana passada com o irmão do trabalhador rural, um adolescente de 16 anos, com quem teria brigado “por causa de namorada” na porta de uma escola no bairro Paraná.

Com o objetivo de defender o familiar, o lavrador teria “comprado a treta” e passado a fazer ameaças contra o comerciário, que trabalhava em uma loja de importados no centro de Palmital. Por volta das 12h40 de terça-feira, os dois teriam se encontrado no cruzamento das ruas Alfredo Garcia com Joaquim Amâncio Ferreira, no bairro São José, onde iniciaram uma briga.

Segundo testemunhas ouvidas pela PM, o comerciário teria sacado um canivete. O lavrador teria se defendido golpes de capacete e tomado a arma branca, com a qual desferiu um único golpe no tórax da vítima, atingindo a região da axila direita. A canivetada perfurou o tórax e o rapaz foi socorrido em estado grave até a Santa Casa de Misericórdia, dando entrada no Pronto-Socorro Municipal e depois foi encaminhado para cirurgia de emergência. Apesar dos esforços da equipe médica, ele não resistiu e foi a óbito.

O corpo foi enviado ao Instituto Médico Legal de Assis, para a necropsia. O autor do crime foi preso logo depois nas proximidades de sua residência, na rua Paulo Bueno de Camargo, no conjunto Habitacional Miguel Huertas (CDHU). O acusado, que não tem nenhuma passagem criminal anterior, se entregou sem resistência aos policiais militares e disse que não se lembrava do local onde jogou a arma usada no homicídio. Ele foi autuado em flagrante na Delegacia da Polícia Civil, onde teria alegado legítima defesa e foi levado à Cadeia Pública de Lutécia. Nesta quarta-feira, ele passará por audiência de custódia no Fórum da Comarca.

#MAIS LIDAS DA SEMANA