Corpo encontrado em estrada rural de Álvares Machado é de adolescente de 15 anos

Jovem foi identificada pela Polícia Civil e reconhecida pela família. Ela era natural do Paraná e se mudou em fevereiro para Presidente Prudente.

Corpo foi localizado na manhã desta sexta-feira (30) (Foto: David de Tarso/TV Fronteira)

A Polícia Civil informou ao site de notícias da Globo, G1, neste domingo (2) que identificou a jovem encontrada morta em uma estrada rural de Álvares Machado, à 148 quilômetros de Assis (SP). Se trata de uma adolescente de 15 anos, natural do Estado do Paraná, que morava em Presidente Prudente desde fevereiro. Seu nome e outras informações só poderão ser divulgadas após autorizações de órgãos competentes, principalmente, devido à menoridade.

O delegado Pablo Rodrigo França, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), explicou ao site G1 que houve uma ampla divulgação do caso, principalmente por meio de redes sociais, e que equipes de investigação conseguiram chegar a uma senhora. A Polícia Civil de Álvares Machado e a DIG atuaram juntas no caso.

Conforme relatou França ao site G1, contada, a senhora disse à polícia que sua neta não estava em casa. Porém, como a jovem possuía o costume de sair com as amigas e ficar de dois a três dias fora, não foi feito o registro de desaparecimento, conforme declarou a senhora para a corporação. Então, a família foi levada ao necrotério para reconhecimento e identificou a vítima.

Continuidade

Os esforços da Polícia Civil agora se direcionam para a identificação do autor do crime. Com a identidade da vítima, a corporação deu um “grande passo para esclarecimento”, segundo salientou o delegado ao site G1.

De acordo com França, foram feitas algumas apreensões de objetos pessoais, bem como análises, principalmente de aparelhos eletrônicos, e dentro disso a Polícia Civil já possui algumas suspeitas.

“A polícia mantém o assunto reservado para não prejudicar as investigações”, enfatizou ao G1 o delegado.

No Instituto Médico Legal (IML), todos os exames necessários e possíveis foram realizados. Os resultados deverão indicar com precisão se a jovem ingeriu alguma substância, como drogas e álcool, a causa da morte, dentre outros fatores. A previsão é de que os laudos saiam nos próximos dias.

Segundo França contou ao site G1, já se sabe que a adolescente morreu, provavelmente, por asfixia e que estava viva quando foi amarrada, porém, ainda não dá para saber se estava consciente. Ambos os fatores serão apontados por meio de análises de materiais colhidos para os exames.

O corpo da jovem não apresentava lesões de faca e/ou arma de fogo, somente de agressão física (soco ou tapa) no rosto.

Ainda enfatizou o delegado ao site G1 que, se alguém tiver qualquer tipo de informação que leve à autoria do crime, é importante contatar a Polícia Civil, mesmo que anonimamente. Os telefones são o (18) 3221-9700 ou 197.

Caso

O corpo foi localizado por volta das 6h30 desta sexta-feira (30), quando uma testemunha passava pelo local e acionou a Polícia Militar. A vítima estava deitada com o tronco para cima e as pernas de lado e amarradas com corda e arame.

A jovem possuía marcas no pescoço, nariz e boca sangrando, além de vários hematomas nas nádegas. Ela usava anel e pulseiras, de acordo com a Polícia Civil.

Uma análise realizada no exame necroscópico indicou que a jovem manteve relações sexuais antes de morrer, entretanto, ela não morreu em decorrência do ato. Ainda não foi constatado se o envolvimento íntimo foi ou não consentido.

Corpo foi localizado na manhã desta sexta-feira (30) (Foto: David de Tarso/TV Fronteira)

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA